Em destaque

Aos balcões do BNU, às 12h30: 1 euro valia 1.0709 dólares ou 8.6024 patacas. Tudo sobre os mercados no Índice Rádio Macau/GGRAsia, às 17h00.

Domingo, 26/04/2015

O incêncio ocorrido esta manhã numa unidade de geração da Central Térmica de Coloane não teve “qualquer impacto na rede de energia eléctrica nem no fornecimento de energia”, afirmou a CEM.

 

Num comunicado divulgado esta tarde, a empresa explica que, “depois de uma investigação preliminar, suspeita-se de que a causa do incidente possa ter tido origem na falha de um dos cilindros”.

 

Ainda segundo a eléctrica, o incêndio “de pequena dimensão” aconteceu “esta manhã, pelas 10.36h, na unidade de geração G08 da Central Térmica de Coloane”. Depois de chamado o Corpo de Bombeiros, “o incêndio foi extinto dentro de seis minutos”.

 

“Por se tratar de uma zona isolada e fechada, o incidente não afectou a àrea circundante”, acrescentou a CEM.

 

Apesar de não ter havido impacto no fornecimento de energia, um operador de 53 anos, da equipa operacional da unidade G08, ficou ferido “devido à onda de calor provocada pela explosão enquanto procedia à supervisão de rotina”. O funcionário, disse a CEM, “foi transportado para o hospital imediatamente para tratamento das pequenas lesões nos antebraços e teve alta do hospital logo após o tratamento”. 

Domingo, 26/04/2015

Um trabalhador da CEM sofreu queimaduras nos braços devido a um incêndio que ocorreu na Central Térmica de Coloane, esta manhã.

 

De acordo com o que a Rádio Macau apurou junto do Corpo de Bombeiros, o trabalhador, residente de Macau, foi levado para o hospital Kiang Wu com ferimentos ligeiros.

 

O incêndio deflagrou por volta das dez e meia da manhã e seguiu-se a uma explosão, segundo o testemunho de trabalhadores.

 

Os bombeiros foram chamados ao local às 10h39  e dizem ter controlado a situação em seis minutos.

 

Está a ser investigado o motivo que levou à explosão de um dos geradores da central operada pela CEM.

Domingo, 26/04/2015

Uma criança de três anos morreu com gripe do tipo B no passado dia 8 de Abril, informaram, ontem, os Serviços de Saúde. Em comunicado, salienta-se, no entanto, que a gripe não foi a causa primária da morte – a criança era portadora de "atraso congénito de desenvolvimento" e tinha vários problemas de saúde.

 

O menor morreu no passado dia 8 de abril depois de três dias internado e sob tratamento que se revelou "ineficaz". A criança começou com sintomas de gripe dois ou três dias antes do internamento e as febres altas provocaram-lhe convulsões, a falência múltipla de órgãos e um edema cerebral. A criança não tinha sido submetida à vacina da gripe sazonal.

 

Os Serviços de Saúde compraram para este ano 108 mil doses da vacina da gripe e já administraram 86 mil. Nalguns alguns grupos de risco, como os idosos, a percentagem de vacinação ainda está aquém do desejado - apenas 20 a 30 por cento de um ideal de 80 por cento.