Em destaque

Aos balcões do BNU, às 12h30: 1 euro valia 1.1264  dólares e 9.0494 patacas. Tudo sobre os mercados no Índice Rádio Macau/GGRAsia, às 17h.

Hoje, 01/09/2015

A partir de hoje estão em vigor medidas de austeridade em todos os serviços públicos. Trata-se de uma consequência da queda do valor das receitas brutas do jogo acumuladas desde Janeiro a Agosto.

 

No mês passado, as receitas caíram para 18,62 mil milhões de patacas, menos 35,5 por cento na comparação anual.

 

De acordo com um comunicado do Gabinete do secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, entre Janeiro e Agosto, o acumulado das receitas brutas do jogo é de 158,88 mil milhões de patacas, o que dá uma média mensal de 19,86 mil milhões, inferior ao valor que havia sido estabelecido como limite para accionar as medidas de austeridade, ou seja, 20 mil milhões.

 

Segundo o comunicado, as medidas que entram agora em vigor “não põem em causa as despesas relacionadas com o bem-estar da população”, ou “com o Plano de Investimento e Despesas de Desenvolvimento da Administração (PIDDA)”.

 

A austeridade passa por exigir a todos os serviços públicos e organismos especiais que “congelem 5 por cento das despesas orçamentadas para a aquisição de artigos para o funcionamento diário dos serviços ou de bens consumíveis, além dos 10 por cento do orçamento das despesas para a rubrica de ‘Investimento’ (não incluído o do PIDDA)”.

 

Também será deduzido o montante de subsídios que cada organismo autónomo pode solicitar junto do Orçamento Central.

 

Com estas medidas, o Governo espera poupar 1,4 mil milhões de patacas.

 

O Executivo reitera que “as finanças públicas estão estáveis” e que “o regime da reserva financeira é suficiente para responder aos incidentes inesperados ou situações provocadas pelas flutuações económicas”.

Hoje, 01/09/2015

Pelo menos oito salas VIP foram encerradas, em Agosto. A notícia é avançada pelo Business Daily.

 

De acordo com o jornal financeiro, que cita o presidente da Associação de Mediadores de Jogos e Entretenimento de Macau, o Golden Group é uma das empresas que fechou salas VIP. Já o David Group está a operar apenas um espaço no Wynn, quando, no início do ano, ocupava sete.

 

O Business Daily faz ainda a contagem do número de salas VIP que encerraram em 2015. Desde Janeiro, o número fixou-se entre “40 a 50”. Três mil trabalhadores residentes foram afectados, lê-se no jornal.

Hoje, 01/09/2015

A queda do Produto Interno Bruto (PIB) para os mínimos de 2011 é um tema que aparece na primeira página de quase todos os jornais de Macau. Em Hong Kong, os matutinos destacam a polémica em torno da doação de órgãos, o acordo de construção entre a China e o Cazaquistão e ainda o caso de alegado uso ilegal de dados pessoais para fins comerciais.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun foca no interior desta edição a notícia de que Macau vai adoptar um mecanismo de registo central para o acesso escolar dos alunos ao ensino infantil. A medida vai ser colocada em prática no próximo ano. Ainda sobre os Serviços de Educação e Juventude, o diário escreve que vai realizar, em 2016, o Progresso no Estudo Internacional de Leitura e Literacia (PIRLS, na sigla inglesa).

 

O Va Kio também vira atenções para os mesmos temas, mas acrescenta que o registo central para o acesso escolar dos alunos ao ensino infantil será limitado a uma inscrição máxima em seis escolas; e que o PIRLS contará com a participação de quatro mil alunos do ensino primário. Noutro título, o matutino adianta que as autoridades detiveram cinco trabalhadores ilegais num estaleiro do Cotai.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi noticia que “os alunos saíram mais cedo de casa no primeiro dia das aulas”, mas que “o movimento dos autocarros no terminal das Portas do Cerco era normal”. Já na Avenida Horta e Costa, diz o canal chinês, o trânsito esteve condicionado nesta manhã do primeiro dia de aulas.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Ponto Final titula “o pode não pode de Coutinho” - o constitucionalista Vital Moreira entende que a eventual eleição de Pereira Coutinho para a Assembleia da República é incompatível com o mandato em Macau. O politólogo Sonny Lo concorda. “De trambolhão em trambolhão” é o título escolhido para a notícia de que o PIB caiu 26,4 por cento no segundo trimestre do ano.

 

O Jornal Tribuna de Macau diz em manchete que “Costa Nunes inicia ano com 43 novos alunos” - o jardim de infância vai contar com duas novas salas para crianças com três anos e o número de alunos da instituição sobe de 120 para 163 no ano lectivo 2015/2016. No destaque fotográfico lê-se “recessão sem fim à vista” e remete para uma análise do economista Albano Martins.

 

“Regresso ao futuro” escreve em letras grandes o Hoje Macau a propósito do ano lectivo que começa. Segundo o diário, entre as novidades do novo ano lectivo, destaque para o aumento de mais de 15 por cento de alunos no ensino infantil, algo que levou o jardim de infância D. José da Costa Nunes a abrir espaço para mais duas turmas, facto inédito na história do estabelecimento de ensino. Em foco na primeira ainda o concerto de Kalhor que “aquece” o Centro Cultural de Macau.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

Na manchete do Macau Daily Times lê-se “economia caí para níveis mínimos de 2011”. Em rodapé, o jornal foca os organizadores do referendo civil que prometem publicar relatório sobre abuso de poder por parte das autoridades.

 

O Business Daily também faz manchete com os números do PIB, relativos ao segundo trimestre do ano, anunciados ontem. A queda de 26,4 por cento leva a economia de Macau para os valores mais baixos desde 2011. Noutra chamada de capa, o diário económico diz terem esgotado em horas os bilhetes para o concerto em Macau da banda masculina sul-coreana “Big Bang”.

 

O mesmo tema em destaque no Macau Post: “PIB contrai 26,4 por cento no segundo trimestre” - está no valor mais baixo desde 2011. O diário titula ainda “Nações Unidas recusam a queixa do Japão sobre a presença do secretário-geral Ban Ki-moon na parada militar no dia da vitória dos aliados na II Guerra Mundial”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

A manchete do South China Morning Post diz “questionadas regras para dadores após cancelamento de um transplante de fígado”. Será que as orientações deviam ser menos rígidas? A questão está na ordem do dia em Hong Kong, depois de os médicos terem detectado cancro no fígado que ia ser transplantado.

 

O China Daily coloca em destaque no interior a notícia de que “foi fechado acordo de empréstimo para a construção de metro ligeiro no Cazaquistão”. O presidente do país está de visita a Pequim, onde foi assinado o documento. É um dos 30 líderes mundiais que vai participar, quinta-feira, na parada militar com a qual a China irá assinalar os 70 anos da derrota do Japão na Segunda Guerra Mundial.

 

O Standard titula que “empresa de banda larga nega ter utilizado dados pessoais dos clientes para campanha de marketing”. Este é o primeiro caso a ser levado a tribunal desde a emenda à lei de protecção de dados pessoais, feita em Abril de 2013.